• Cintia Almeida

Está em crise? Não tenha medo de enfrentá-la.

À medida que vamos vivenciando as situações que surgem ao longo da nossa trajetória de vida, nossas convicções se chocam com as das pessoas que estão ao nosso redor, com as da sociedade e até mesmo com nossos valores e com aquilo que um dia almejamos. E então, está instalada a crise.

A palavra “crise” vem de “crisol”: lugar de purificação do ouro no mais alto grau. É na crise que caem as máscaras e sobra somente o “eu”. Por isso, ao invés de rejeitá-la, é melhor extrair o máximo de aprendizados que ela pode nos proporcionar e permitir-se, olhar para dentro, crescer, evoluir.


Rejeitar as crises interiores só adia o processo que, em algum momento, precisará ser vivido. Sabe aquela sensação “já passei por isso antes”? Talvez seja a oportunidade que Deus está te dando para viver de forma diferente a mesma situação. 


Acima de tudo, dar sentido ao processo vivido, trará um novo sabor à vida e, quando tudo passa, é possível olhar para trás e constatar que somos pessoas melhores. 


E, dependendo da intensidade, pode até mudar o nosso olhar sobre a vida, nos tirar da superficialidade e trazer à toda nossa verdadeira essência. E nossa essência está em Deus. 

Em 2010 passei por uma crise dessas. Posso afirmar que “quebrei”.


Resumidamente, fiz planos centrados em coisas desta terra: carreira, posição, dinheiro. Não que não tenhamos que buscar essas coisas. Meu erro foi fazer delas o centro da minha vida. 


Investi tempo nesses objetivos e, ao alcançar boa parte do que almejava, senti um vazio enorme por ter aberto mão de sonhos não tangíveis e até mesmo de Deus. A partir daí, foi preciso rever o que de fato era essencial. 

“Nada que não é eterno tem valor na eternidade.” C.S.Lewis

Quando quebramos, não sabemos bem por onde ir porque o caminho que acreditávamos ser o mais correto, caiu. E aquilo que começo acreditar ser o novo caminho, ainda não conhecemos. É quase como uma criança que começa a aprender a andar. É preciso ir tateando. E a ajuda de pessoas confiáveis que possam nos orientar, é essencial.

O fato é que os frutos de se viver bem os tempos de crise são extremamente valiosos. Frutos que permanecem por toda a vida, que dão novo significado à nossa existência.


Quanto mais as rejeitamos, mais superficiais nos tornamos. No caminho inverso, quanto mais nos abrimos à essa experiência, mais inteiras nos tornamos, mais trilhamos um caminho de autoconhecimento, mais chances temos de viver bem os sonhos de Deus nas nossas vidas. É desafiador, com certeza. Mas a escolha é sua: encarar a crise de frente e crescer ou evitar a crise e estagnar. Por qual caminho prefere seguir?

















18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo