top of page
  • Foto do escritorCintia Almeida

Silêncio: uma arma poderosa

Barulho é algo tão presente no nosso cotidiano, que silenciar parece praticamente impossível. Para quem vive nas grandes metrópoles, então, nem se fala! Nem mesmo as madrugadas são silenciosas. E não é só o barulho exterior, mas também o interior: a mente que não pára um só minuto com tantos afazeres, planos, projetos, preocupações.

Silenciar é um dom. E esse é um comportamento que aprendemos com a Santíssima Virgem Maria. Algo que para nós, mulheres, é muito difícil. Às vezes, até impossível.


Diante das situações que não compreendia, Maria silenciava e apresentava suas aflições e medos somente ao Senhor.

Foi assim, quando Jesus nasceu. Os pastores foram até a gruta onde ela havia dado à luz e contaram que chegaram ali por indicação de um anjo de Deus, que havia anunciado o nascimento do Salvador. Aparentemente, algo incompreensível.


“Maria conservava todas estas palavras, meditando-as no seu coração.” Lucas 2,19


Assim também aconteceu quando encontrou Jesus no templo, depois de tê-lo perdido durante uma viagem de volta para Nazaré. Imagine a angústia de perder um filho em meio a uma multidão. Agora, imagine perder o filho de Deus?


Depois de tanto desespero, encontram Jesus no templo e, ao ser questionado sobre o motivo de estar ali, Ele responde:


“Por que me procuráveis? Não sabíeis que devo ocupar-me das coisas de meu Pai?” Lucas 2,49


O texto bíblico diz que nem José nem Maria compreenderam tudo aquilo, mas destaca a atitude de Nossa Senhora:


“Em seguida, Jesus desceu com eles a Nazaré e lhes era submisso. Sua mãe guardava todas estas coisas no seu coração.” Lucas 2,51


O fato é que, diante das situações que fogem do nosso controle, é mais comum murmurar, gritar, questionar, colocar em dúvida o amor de Deus por nós. Ou ainda, sair tomando atitudes sem pensar  nas consequências, com grandes chances de arrependimento posterior.


Sem silenciar, meditar e colocar nossas dificuldades diante de Deus, o que nos sobra é a impulsividade, própria da maioria das mulheres. Perdemos tempo, noites de sono e nos desgastamos, talvez, desnecessariamente.


Faça esse exercício diário: coloque nas mãos de Deus tudo que está acima das suas possibilidades, do seu controle. Reconheça que você não é a mulher maravilha que tem super poderes para resolver tudo que aparece na sua frente! Conte com Aquele que tudo pode realizar!


No mínimo, você recobrará a paz interior necessária para dar o próximo passo. Que Nossa Senhora nos ajude nesse processo de silêncio interior e de confiança Naquele que está acima de todas as coisas: nosso Deus!




122 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page