• Cintia Almeida

Qual a sua vocação?

No mês de agosto a igreja celebra as diversas vocações manifestas: matrimonial, sacerdotal, religiosa, leigos consagrados.

Sendo hoje o penúltimo dia do mês e atendendo ao pedido de algumas seguidoras do blog, resolvi escrever sobre a questão do discernimento vocacional.


É importante ressaltar que o primeiro chamado de qualquer ser humano é o matrimônio. Desde o Gênesis, é clara a direção de Deus. Após Deus ter criados homem e mulher, a Palavra diz:


"Por isso o homem deixa o seu pai e sua mãe para se unir à sua mulher; e já não são mais que uma só carne." Gênesis 2,24

No primeiro capítulo ainda, está a ordem:


"Deus os abençoou: 'Frutificai, disse ele, e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a.'” Gênesis1,28

Veja o que diz o papa São João Paulo II, em uma de suas catequeses da Teologia do Corpo:


“Sozinho, o homem não realiza totalmente esta essência [de ser pessoa]. Ele só a realiza existindo ‘com alguém’ – e ainda mais profunda e completamente: existindo ‘para alguém’… Comunhão das pessoas significa existir num recíproco ‘para’, numa relação de recíproco dom” (9 de janeiro de 1980).

Portanto, todos temos, sem exceção, a vocação ao matrimônio.

Porém, alguns abrem mão desse primeiro chamado em favor de uma dedicação total ao serviço à Deus, através do serviço à igreja. São os padres, religiosos e religiosas, leigos consagrados. E Jesus nos ensina isso:


"Porque há eunucos que o são desde o ventre de suas mães, há eunucos tornados tais pelas mãos dos homens e há eunucos que a si mesmos se fizeram eunucos por amor do Reino dos céus. Quem puder compreender, compreenda." Mateus 19,12

Independente de qual vocação você é chamada, o fato é que corresponder a esse chamado te fará plenamente feliz! Isso porque o seu sonho é o sonho que Deus colocou no seu coração desde sempre! E isso, descobri em meio a minha crise vocacional.


Sempre sonhei em constituir família. Porém, após 2 longos relacionamento de 6 anos cada, me vi aos 30 e solteira.


Passei, então, a questionar se o matrimônio era mesmo o meu chamado. Porém, pensar isso era quase uma agressão interior. Como assim, abrir mão do meu sonho? Sonho de casar, de ser esposa e mãe? Ao mesmo tempo, pensava: o Deus que conheço, não tira nada. Ao contrário, em tudo nos quer feliz! E passei a olhar as outras vocações entendendo que, qual fosse meu chamado, seria feliz em correspondê-lo!


Ao entender isso, foi como um destravar interior! Compreendi que seria feliz onde Deus me chamasse! Compreendi que o sonho que estava em mim é o sonho Dele pra mim!


Por isso, não tenha medo de conhecer as diversas vocações. Ore e Deus colocará em você a vontade Dele, que é boa, perfeita e agradável!













52 visualizações0 comentário