• Cintia Almeida

Heitor volta para Deus

No domingo, pela manhã, recebemos a Eucaristia no quarto do hospital. É festa de Nsa Sra do Carmo.

Passamos o dia com o Heitor no colo. Estar com ele e com o Marcos ali, me trazia paz. Já não desesperava quando a oxigenação baixava ou até chegava a zero. Só queria que ele soubesse que estávamos com ele e que estaríamos todo o tempo.


Descemos para jantar e, pouco tempo depois, o Marcos recebeu uma ligação no celular. Era da UTI. Tivemos certeza que o Senhor havia levado nosso filho. Chegamos lá e, ao entrar, já perguntamos: ele se foi?

Mas a médica disse "não, só chamamos vocês porque a oxigenação baixou muito..."


Era o primeiro plantão daquela médica com o Heitor. Ela não sabia que a oxigenação já tinha ido a zero várias vezes. Ficamos ali com ele mais um pouco mas não o pegamos no colo para evitar mexer nos fios e gerar desconforto para ele. Estava tão quentinho na encubadora...


Descemos para o quarto porque receberíamos um casal de amigos muito próximos. Estiveram conosco todos os dias desde o nascimento e em diversos momentos anteriores, desde o diagnóstico da síndrome.

Conversamos e eles oraram por nós. Nos despedimos e voltamos à UTI. Eram 22:30, aproximadamente.

Logo que nos viram, a médica e as enfermeiras foram até a porta da UTI. A médica disse: ele acabou de ir. Estava com o estetoscópio nas mãos porque tinha acabado de verificar se havia batimentos cardíacos. Choramos juntos, eu, Marcos e a médica, que me abraçou dizendo "vocês foram exemplos para nós aqui".


Removeram os fios e tubos para que pudéssemos nos despedir do nosso filho. Ainda estava quentinho. Sem os tubos, pude ver que o Heitor tinha um furinho no queixo, como meu pai. E fui observando cada detalhe dele: o narizinho lindo, as sombrancelhas bagunçadas como as do Marcos, os olhinhos amorosos... Separamos a roupinha para que ele fosse vestido para o funeral e voltamos para o quarto. Dor imensa, misturada com a sensação de missão cumprida.

Nossa meta aqui na terra é o céu. Se cremos na vida eterna, se somos verdadeiros cristãos, passamos todos os anos da nossa vida nessa busca. E nós, eu e Marcos, tivemos o privilégio de ter um filho que nasceu pronto pro céu. 


Nasceu dia 13/07/17, dia de Nsa Sra Rosa Mística. Três dias depois voltou pra Deus, 16/07/17, dia de Nsa Sra do Carmo. No ano Mariano, consagrado a Nsa Sra de Fátima.


Não que seja fácil devolver a Deus o que é Dele. Não foi. Nosso desejo era tê-lo conosco por toda nossa vida. Mas, aprendemos que o amor verdadeiro é livre, é doação. 


Só posso agradecer a Deus a honra de ser mãe do Heitor! Honra de ser colaboradora para sua vinda a esse mundo. Por poder gestá-lo por 31 semanas. Por ter sua presença tão intensa durante os 3 dias que esteve conosco nesse mundo. 


Obrigada, filho amado, por cada segundo ao seu lado! Por eu ter podido te beijar, te cheirar, rezar, cantar para você e olhar nos seus olhinhos lindos para dizer o quanto te amo! 


Obrigada por me ensinar o que é o amor verdadeiro. Obrigada porque intercede por nós junto à Jesus para gente suportar a saudade que rasga nosso coração. Porque uma certeza eu tenho: um dia a gente vai se encontrar! Te amo muito meu filho! Pra sempre vou te amar!




18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo